Cez√°rio continua atr√°s das grades enquanto aguarda nova audi√™ncia de custódia

Mandat√°rio do futebol de MS completa 24 horas atr√°s das grades

Por Redação em 22/05/2024 às 10:43:56
Francisco Cezário foi preso durante Operação do Gaeco

Francisco Cezário foi preso durante Operação do Gaeco

O presidente da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), Francisco Cez√°rio de Oliveira, continua preso provisoriamente, sob acusação de desvios milion√°rios na entidade. Ele passou por audi√™ncia de custódia na manhã desta quarta-feira (22), em que o juiz solicitou a remessa do processo para a vara onde foi expedido o mandado de prisão, pelo fato de o dirigente não ter sido preso em flagrante, mas sim sob força de mandado de prisão.

Portanto, Cez√°rio e outros quatro presos, sendo tr√™s sobrinhos do dirigente, continuam atr√°s das grades até nova audi√™ncia de custódia. Por ser advogado, o mandat√°rio est√° em cela especial do pres√≠dio militar.

Operação "Cartão Vermelho", deflagrada nesta terça-feira (21) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), prendeu o presidente da FFMS e outras quatro pessoas: Umberto Alves Pereira (TV FFMS), Francisco Carlos Pereira (também flagrado com arma), Valdir Alves Pereira e Marcelo Gustavo.

Conforme informações do Gaeco, o grupo liderado por Francisco Cez√°rio realizava pequenos saques de até R$ 5 mil para não chamar atenção dos órgãos de controle. De setembro de 2018 a fevereiro de 2023, foram identificados desvios que superaram os R$ 6 milhões.

Somente durante o cumprimento dos mandados nesta terça-feira foram apreendidos mais de R$ 800 mil, inclusive em notas de dólar. Revólver e munições também foram apreendidos.

Os valores eram distribu√≠dos entre os integrantes da organização criminosa. O esquema se estendia também a outras empresas que recebiam altas quantias da federação. Assim, parte dos valores era devolvida "por fora" ao grupo.

A organização criminosa também possu√≠a um esquema de desvio de di√°rias dos hotéis pagos pelo Estado de MS em jogos do Campeonato Estadual de Futebol.

Operação Cartão Vermelho


Mais de R$ 800 mil apreendidos na casa de Cez√°rio, inclusive com notas em dólar

Equipes do Gaeco cumpriram 7 mandados de prisão preventiva, além de 14 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, Dourados e Tr√™s Lagoas.

Conforme o Gaeco, o nome da operação faz alusão ao instrumento utilizado pelos √°rbitros para expulsar os jogadores que cometem faltas graves durante as partidas de futebol.

Lista de investigados na Operação Cartão Vermelho


Jamiro Rodrigues de Oliveira, vice-presidente da FFMS; Marco Antônio Tavares, vice-presidente e coordenador de competições da federação, que também consta como presidente da Federação de T√™nis de Mesa; Aparecido Alves Pereira, delegado de jogos da FFMS; Rudson Bogarim Barbosa que, em publicação do site da entidade, em 2022, constava como gerente da TI da FFMS; Marcelo Mitsuo Ezoe Pereira; Francisco Carlos Pereira Umberto Alves Pereira; Valdir Alves Pereira; Francisca Rosa de Oliveira; Marco Antônio de Ara√ļjo; Patr√≠cia Gomes Ara√ļjo.

Cez√°rio j√° foi condenado e escapou de CPI


Francisco Cez√°rio de Oliveira, preso nesta terça-feira (21) em ação contra desvio de dinheiro na entidade, j√° havia sido condenado pelo mesmo motivo, em 2010.

Na época, o mandat√°rio foi condenado a pena de quatro anos e cinco meses, em regime semiaberto, por desviar valores na casa dos R$ 56 mil. Ele foi denunciado pelo MPMS (Ministério P√ļblico de Mato Grosso do Sul) por supostamente ter transferido recursos da entidade para a conta particular.

Ainda conforme o MPMS, parte do dinheiro teria sido usada em campanha política, quando concorreu e ganhou para prefeito de Rio Negro, cargo eletivo que exerceu de 2001 a 2004.

CPI "enterrada"


O deputado estadual Evander Vendramini (PP) chegou a tecer cr√≠ticas à FFMS e avaliou abrir uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para, segundo ele, abrir a "caixa-preta" do futebol. Foram duas tentativas frustradas para investigar poss√≠veis irregularidades no futebol estadual, em 2019 e 2020.

"Os est√°dios vazios, clubes sem incentivo e jogadores desmotivados. Nos anos 80, o futebol sul-mato-grossense era destaque e, infelizmente, hoje o retrato é de abandono. A Federação Estadual sempre esteve na mão dos mesmos dirigentes, precisamos urgentemente reorganiz√°-la para retomar o crescimento e modernizar nossos clubes", declarou.

Na época, defendeu uma investigação para apurar como os recursos estaduais foram aplicados pela entidade.

Comunicar erro

Coment√°rios

Cintia Sales